Queda de Constantinopla: Consequências e resumo.

Em 1453, os turcos otomanos atacaram e tomaram a cidade de Constantinopla, a capital do Império Bizantino. A perda do império situado no Mediterrâneo foi um profundo choque para o povo cristão. Existem relatos de sobreviventes e que testemunharam visualmente a queda da cidade, Nocolò Barbaro é um deles: “O sangue escorreu como chuva nos esgotos depois de um ataque repentino.”

Continue a leitura para descobrir o resumo das consequências da queda de Constantinopla.

Se minha cidade cair, cairei com ela – Constantinopla

Com citado anteriormente, a queda ocorreu em 1453 e se deve pelos turcos otomanos já terem conquistado uma grande parcela de território. Então, Maomé II cercou a cidade e a destruiu com artilharia pesada, quebrando os muros e dominando toda a região de Constantinopla. Constantino XI, foi o último imperador bizantino e fora morto durante o conflito. Constantinopla se tornou a capital do Império Otomano e durou até 1922 com o surgimento da moderna Turquia.

Um império em declínio

O Império Bizantino já se encontrava em declínio após a Batalha de Manzikert, em que o exército vencedor expulsou os bizantinos de seu terreno na Anatólia. A partir disso, a fraca liderança militar, perda de receitas com o comércio, e disputas pelo trono tornaram o império frágil e muitos povos se aproveitaram daquela situação.

Em 1203, durante a Quarta Cruzada, alguns líderes cruzados juraram oferecer ajuda para os bizantinos caso seu imperador Isaac II Ângelo lhes apoiasse na expedição. No início obtiveram sucesso, o filho de Isaac foi coroado novo (co)imperador. Contudo, em 1204, tendo o povo não recebido o pagamento prometido, saquearam igrejas, demoliram obras de artes: Constantinopla esteve perto de sua destruição.

Queda de Constantinopla: Resumo

A ascensão dos Otomanos

Em 1536 com a derrota dos Mamelucos e a guerra contra os safávidas, uma das mais importantes dinastias persas, deram a eles o controle sobre toda faixa do Oriente Médio Árabe. O império Otomano era de religião muçulmana, os sultões achavam uma obrigação promover a disseminação por todos os lugares.

Alguns estados permaneceram como vassalos do império enquanto outros se tornaram parte dele: Sérvia, Bósnia e Bulgária. As comunidades não muçulmanas do império ainda poderiam ter certo grau de autogoverno e decidir sobre assuntos religiosos, isso permitiu uma união centralizada por muito tempo.

O exército Otomano teve importância crucial para sua ascensão: cavalaria veloz, canhões e sofisticados termos de estratégia. Os meninos entre 8 e 18 anos eram tomados como “impostos de sangue”. Desta forma, eram enviados à força para famílias turcas, aprendiam o islã e recebiam um rigoroso treinamento militar.

O seu apogeu ocorreu em 1460, quando o imperador Suleiman mandou que construíssem cada vez mais templos. Anexo à cidade encontrava-se padarias, hospitais e até mesmo a casa da moeda. As cidades otomanas eram impressionantes e eram uma enorme potência na época: realizavam diversos acordos, dividiam terras.

Declínio gradual do Império Otomano

O florescimento cultural continuou até mesmo após a morte de Suleiman, contudo, uma crescente parte da população realizava pressão para ficar com as terras disponíveis. Além das ameaças militares e internas, houve a batalha naval de Lepanto, que serviu para deteriorar ainda mais o império. Durante o século XIX, chegou a ser chamado de “homem doente da Europa”, devido à incapacidade de resolução dos conflitos surgidos.

Então, com a forte onda de nacionalismo entre os povos conquistados, na primeira guerra mundial sofreu seu total declínio: Kemal Ataturk instala o estado moderno da Turquia.

Quer saber mais sobre o contexto histórico?

Antes da queda de Constantinopla:

Batalha de Manzikert – 1071

As forças turcas infligiram grande derrota ao império Bizantino na Batalha de Manzikert: o confronto terminou com uma enorme derrota do exército bizantino, portanto, contribuiu decisivamente para minar a autoridade bizantina na região e abriu o caminho para a invasão turca da Anatólia.

Batalha de Manzikert: O que foi, qual seu contesto histórico?

A Batalha de Manziquerta foi desastrosa para todos os bizantinos, tendo resultado em conflitos civis e enorme crise econômica que os debilitaram severamente a capacidade do império para defender as suas fronteiras. Portanto, criou-se um movimento massivo de turcos para a Anatólia Central e no ano de 1080 os turcos seljúcidas tinham tomado uma área maior de 78 000 km². Somente após 30 anos de guerras civis o império voltou a ter estabilidade, sob o governo de Aleixo I Comneno (r. 1081–1118).

Batalha de Kosovo – 1389

Os otomanos derrotam os sérvios de Kosovo, isso lhes possibilita o acesso para a Europa. Essa batalha é conhecida como Batalha de Kosovo. Ela foi liderada pelo príncipe sérvio Lázaro da Sérvia, contra a invasão do exército do Império Otomano. Com isso, a derrota que os cristãos sofreram, fez com que sofressem por cinco séculos com a ocupação do outro povo.

Apesar de ser um assunto interessante de ser estudado, fontes históricas sobre a batalha são bem escassos.

Batalha de Kosovo e a queda da constantinopla

Murad II – 1421

Murad II chega ao trono otomano e planeja diversas mudanças. Portanto, o reinado foi marcado por uma longa guerra que lutou contra os senhores feudais cristãos dos Balcãs e os turcos beyliks em Anatólia , o conflito durou 25 anos.

Murad II: quem foi e sua luta contra os cristãos.
Murad II – 6 sultão otomano

Depois da queda de constantinopla:

Guerra Otomano-Mameluca – 1517

Os otomanos conseguem conquistar o Egito Mameluco: Guerra Otomano-Mameluca. , Essa guerra levou à queda do Sultanato Mameluco do Egito. A guerra transformou o Império Otomano de um reino às margens do mundo Islâmico, principalmente na Anatólia, para um enorme império que englobava grande parte das terras tradicionais do Islão. Apesar da vitória, sua capital permaneceu em Constantinopla.

Guerra Otomano-Mameluca e sua relação com Constantinopla.

Batalha de Lepanto – 1571

Esta batalha foi travada entre a Liga Santa liderada por João Áustria (Reino de Espanha, Estados Pontifícios, República de Veneza e Cavaleiros de Malta) e o Império Otomano. Então. os otomanos são derrotados no dia 7 de outubro de 1571, ao largo de Lepanto, na Grécia. Esta batalha representou o fim da enorme expansão islâmica pelo Mediterrâneo. Logo, alguns séculos depois, o império termina com a fundação da Turquia (1922).

Batalha de Lepanto, o que foi?

Quer conhecer mais artigos de nosso blog? Clique aqui.

Um comentário em “Queda de Constantinopla: Consequências e resumo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *