RELACIONAMENTO ABUSIVO: O que é? Como superar?

Resumidamente, um relacionamento abusivo tende a ser formado pela base do controle e dependência. O vínculo, muitas vezes, pode ser difícil de quebrar-se e os fatores disso ocorrer são os mais variados: dependência emocional e/ou financeira, medo, ameaças, conforto, carência e muitos outros. Desta forma, o auto conhecimento se torna essencial para a superação dos danos causados durante determinado período de inferioridade.

O fator preocupante é que ao questionar os entrevistados sobre vivenciarem um relacionamento abusivo ou serem abusivos, uma boa parte deles não souberam responder. É comum muitas pessoas acharem que a descrição de abuso se anula quando não há violência física: em muitos relacionamentos, a violência física tarda a aparecer e quando acontece, a vítima está tão apegada ao abusador que não consegue cortar seus vínculos:

Na minha juventude tive vários relacionamentos abusivos. Um deles era meu amigo e nos envolvemos num relacionamento. Ele noivo mas me dizia que terminaria. Muitas histórias. Me tratava bem, carinhoso e envolvente. Resumo depois de uns 3 anos de relacionamento “sério ” soube que ele tinha um terceiro relacionamento “sério”. Me atrasei. Permaneci. Me avisou do casamento. Fundo do poço e rompi. Ele se casou com a noiva numa sexta-feira e na segunda-feira me mandou um buquê de flores vermelhas. Ficou me assediando. Muito sofrimento e revolta. Mudei de cidade pra me refazer. Sequelas emocionais.

Você já sofreu com relacionamentos abusivos?

Ele não era abusivo, só me amava demais.

Já se perguntou sobre a tênue linha que, quando ultrapassada, transforma aquele relacionamento perfeito em um relacionamento abusivo? Como funciona? Os jogos são perversos, manipulativos. São como teias de aranha, quando você percebe, já está nelas há muito tempo.

Às vezes isso, acontece de forma sutil. Outras, de forma escancarada. Há como prever? Há como evitar?
Nesse segundo livro, a autora da página “99 textos sem você” coloca, em mais de cem poesias, sua verdadeira essência na batalha contra os relacionamentos abusivos. Os jogos, a manipulação, as falas e as sutilezas. É só prestar atenção, porque tudo isso estará bem à sua frente nas páginas deste livro! Quer conhecer mais a atora? Clique aqui.

Ele não era abusivo, só me amava demais.

Por que ele é assim?

O estudante Emanuel Hallef estuda psicologia e hà mais de 5 anos escreve livros e textos sobre como superar um relacionamento abusivo. A libertação, a verdade nua e crua sobre aqueles que criam uma imagem diferente de seu amor. Por que continuamos insistindo em pessoas que prometem mudar e nunca retornam o que dizem? Às vezes ele é gentil, e do nada te evita, te machuca, não te responde e deixa de falar contigo. Por que ele age assim?

Você não vive mais por si mesma. Vive em função dele. Você não entende o que ele fez pra te fazer ficar tão obcecada. Você não sabe como parar de ir atrás, como não depender mais do afeto e da atenção que ele te dar, mesmo sendo tão pouco. No fim, é sempre o mesmo:

Você sente vergonha, nojo de si mesma, todas às vezes que ele te ignora e finge que você não existe. Fere a tua dignidade. E então, você se culpa. Culpa o seu corpo, cada parte dele. Culpa pessoas que não tem nada a ver com a história de vocês. Culpa a si mesma, por ser quem é.

Você está cansada desse ciclo. Cansada de não ser uma opção pra ele e mesmo assim continuar insistindo em algo em vão. Mas na sua cabeça, não tem o que fazer. Você está ligada a ele. É caso perdido. Você o ama e acha que vai viver presa a ele para sempre, e que nunca conseguirá uma pessoa que te ame verdadeiramente.

Se estiver interessado (a) em conhecer mais sobre a obra, clique aqui.

Pesquisa e desenvolvimento

Com base nisso, resolvemos realizar uma pesquisa online em que os participantes deveriam responder algumas perguntas, como: Sexo, idade, história e características que mais notava em seu relacionamento. Desta forma, conseguimos criar uma base entre as principais vítimas de relacionamentos abusivos. Quem são? Por que permanecem neste relacionamento? Quais são as principais características? Observe os gráficos a seguir:

Qual o seu sexo? - Vítimas de relacionamentos abusivos.
Quais as idades de pessoas que sofrem de relacionamentos abusivos? Pesquisa: Rabisco da História.
Se você já praticou ou sofreu de abuso em um relacionamento, diga quais foram as principais características

Histórias de relacionamentos abusivos

Minha esposa controla cada segundo da minha vida como se meu tempo, ações e vontades fossem dela e não meus.

 Eu não podia ter amigos homens, não podia ter minhas opiniões próprias, tudo tinha que dar satisfações e se não dava, eu era recebida com gritos e xingamentos. Ele me apontou o dedo e me chamou de falsa por eu ter falado que NÃO ACHAVA errado termos amigos. Pra ele, eu tinha que viver só para o relacionamento. Ele acompanhava minhas redes sociais pelo perfil da mãe dele, já que por uma razão que nunca quis me explicar, não tinha nenhuma rede social. Ficava 24h por dia vendo o que eu seguia/curtia e se algo não o agradava, era uma semana de brigas. Ele terminou comigo pois disse que eu era mentirosa e que não estava pronta para um relacionamento porque eu tinha seguido um amigo no Instagram. Hoje sou extremamente agradecida a ele pelo término, pois eu já tinha tentado 2 vezes e sempre ouvia que ele iria mudar ou era obrigada a vê-lo chorando para não terminar. Ele é extremamente doentio e possessivo!

Minha ex tinha necessidade de ser controladora, era insegura por ter passado por traumas na infância, foi abandonada em uma lata de lixo pelos pais biológicos, sofreu abusos enquanto criança pelos familiares. Logo, por associar o fato de querer me separar com o abandono de sua mãe biológica, tentou me matar dizendo que eu não seria de mais ninguém, tive que fugir dela para conseguir me manter vivo. Ela me perseguiu por um tempo, eu só queria parar com aquele abuso. Hoje compreendo que ela só agia daquela forma comigo, porque, de certa forma eu permiti. Nunca mais me relacionarei com alguém que seja obsessiva, controladora, insegura ou que tenha necessidade de controlar a vida do outro. 

Também percebi que ela sentia necessidade que agisse como ela, como para sentir-se aliviada. Quando eu não era como esperado, ficava frustrada como se eu não a amasse simplesmente por não corresponder suas expectativas. Ela estava acostumada a se relacionar assim, e eu não. Quando comecei a ir para o hospital com dor no peito é que percebi o quanto ela estava me prejudicando e tomei a decisão de terminar, fiz isso 3x até que finalmente consegui.  No fim, já tinha medo de dormir ao lado dela, ela poderia me matar enquanto dormia, então eu esperava ela pegar no sono e eu ia para o banheiro, me trancava e dormia no chão frio. Pelo menos eu estava seguro.

Relacionamento saudável é com respeito, amor, cumplicidade. No amor, respeitamos a opinião do outro e queremos ele bem. Se você se coloca acima do bem estar do parceiro, você não sente amor, e sim outra coisa.

Conhece alguém que foi vítima de relacionamento abusivo? Se sim, quantas?

Acabei me afastando de amigos e conhecidos, estive tão presa na relação ao ponto de poder falar apenas com ele devido ao ciúme excessivo que ele tinha. Além disso, a manipulação psicológica que ele praticava era a partir de palavras como “eu vou te matar e depois eu me mato, se você me deixar” ou por meio da automutilação, me mandando fotos do braço cortado e afirmando que aquilo era a minha culpa. 

Sempre me questionava onde eu estava, com quem estava ou o que estava fazendo. Ele afirmava que não confia em mim e precisava que eu esclarecesse tudo para ele ficar calmo.  Sempre afirmava que meu corpo não era bonito e eu deveria emagrecer, sendo que meu IMC sempre esteve no nível normal. Então, acabei desenvolvendo alguns problemas com bulimia. As ameaças eram constantes, principalmente porque ele tinha uma coleção de facas e adegas, vivia com uma delas no bolso e ameaçava me machucar com elas caso eu não “andasse na linha”. 

Atualmente não tenho mais notícias dessa pessoa, pois literalmente ele me bloqueou de repente em todas as redes sociais e faço terapia para tratar essas questões, além de ter sido diagnosticada com transtorno misto de ansiedade com depressão. Hoje tenho um relacionamento saudável com muito companheirismo e me sinto muito melhor.

Vivi 3 anos e 6 meses um relacionamento completamente conturbado e tóxico. Eu era vista como um objeto de posse. As agressões verbais, as chantagens, pressões psicológicas. A sensação era de estar num buraco completamente fundo no qual eu me afogava e não conseguia subir a margem. Sentia dores horríveis, emocionais, me sentia culpada por tudo, ele me diminuía e mesmo doendo, eu acaba acreditando naquilo. A culpa toda era minha. SIM, era o que ele dizia, que a culpada era eu mesma pelo ciúmes, pelas traições, pelas palavras, pelo xingos. O tempo passava e eu só piorava. Não podia ir a escola, não podia ter redes sociais, não podia ter amigos, ciúmes da minha mãe, irmão, pai, todos a minha volta. As agressões eram verbais até que um dia o primeiro tapa ocorreu, ele me pediu perdão mas não consegui perdoar. Crises de ansiedade e depressão, tentativas de suicídio no relacionamento e  um enorme tempo até conseguir sair desse círculo sem fim.

Sofri manipulação emocional, a pessoa me humilhava por ter cabelo cacheado, olhos grandes e lábios grossos, não podia sair sozinha nem pra consulta médica. Estava me manipulando pra engravidar inclusive já peguei furando camisinha e jogando minhas pílulas na privada e marcando no app que eu já tinha tomado. Me deu um golpe de 10 mil reais e por fim me agrediu quando quis terminar.

Extremamente ciumento, controlador. Me batia quase todos os dias. Começou com tapas, socos, partiu para pauladas e barra de ferro. Sentava em cima de mim enquanto batia em meu rosto. Dentadas, não me deixava dormir (tortura psicológica-privação do sono), tentativa de estupro e por último uma facada nas pernas.  Terminou quando fugi. Troquei de cidade. Foram somente oito meses,dos quais apanhei por quatro quase que diariamente,mas consegui me livrar. Quantas vivem neste inferno por anos sem conseguir sair.

Foram 2 anos da minha vida jogada fora. Achei que tinha encontrado o amor da minha vida, ele era atencioso, romântico, cuidadoso e muito carinhoso no começo da nossa relação, mas tudo o que eu fazia para retribuir esse amor era pouco, segundo ele. Ele se apresentou diante de mim como um sargento do exército, tinha seu salário, sua moto, mas ainda morava com o pai. Logo tudo foi desmentido com o tempo, ele só ficava em casa, não trabalhava e não fazia questão de arrumar emprego, vivia dando desculpas de que tinha problemas psicológicos e problema do coração, que nunca mais foram mencionados quando eu ousei questionar e dizer que era mentira. Ele fazia chantagem emocional com essas doenças para que eu lhe desse atenção e praticamente vivesse na casa dele. Não sendo bastante, ele começou a me pedir presentes caros, o mais barato de todos foi uma luz de led de 180 reais, sem falar nas tatuagens que ele ganhou, ao todo 5 tatuagens, um prejuízo de mais de 1000 reais só nisso. Depois para tudo que ele fizesse ele começou a contar com meu dinheiro, inclusive para comer besteiras. Eu o via apenas em fim de semana, e já era muito para mim porque ele sempre tinha alguma coisa para pedir, e se eu não desse eu era a pessoa desinteressada da relação. Em relação a sexo ficava chateado e fazia chantagem quando eu não queria, era uma merda, tudo era a minha culpa por eu não querer fazer, eu vivia com problemas de infecção de urina, e me machucava. Ele tinha ciúmes excessivo de mim, e sempre achou que eu estava traindo ele, inclusive não deixava  sair com minhas amigas mulheres também, vasculhava meu celular e aí de quem fizesse piada de que eu estava com outro, ele dava uma de machão e me ameaçava na frente dos outros. Ele reclamava das minhas roupas e com o tempo, eu que era uma moça vaidosa, fiquei feia e descuidada, cansada, e já não tinha tempo nem de pintar as unhas, meu tempo era só dele, eu não tinha tempo para ser eu mesma. Nos últimos meses de relação eu suspeitei que ele estava me traindo, as mentiras e as saídas de carro se tornaram suspeitas para alguém que só ficava em casa. Ele começou a ficar mais nervoso e agressivo, não tinha paciência para escutar a minha voz ou o que eu tinha  a falar, depois começou a querer me agredir. Logo eu descobri que ele tinha perfil em site de relacionamentos e buscava esquemas pela internet, isso foi a gota d’água e no outro dia separamos definitivamente. Foi uma época muito infeliz, eu não tinha alegria para nada, nem finais de semana com a minha família, natais e ano novo, ele me isolava das pessoas que eu amo, me amedrontava, me ameaçava 

Na minha juventude tive vários relacionamentos abusivos. Um deles era meu amigo e nos envolvemos num relacionamento. Ele noivo mas me dizia que terminaria. Muitas histórias. Me tratava bem, carinhoso e envolvente. Resumo depois de uns 3 anos de relacionamento “sério ” soube que ele tinha um terceiro relacionamento “sério”. Me atrasei. Permaneci. Me avisou do casamento. Fundo do poço e rompi. Ele se casou com a noiva numa sexta-feira e na segunda-feira me mandou um buquê de flores vermelhas. Ficou me assediando. Muito sofrimento e revolta. Mudei de cidade pra me refazer. Sequelas emocionais.

Você já foi abusivo (a) em um relacionamento?

Você já foi a pessoa ABUSIVA em um relacionamento?

Eu tinha muito ciúmes porque ele apagava conversas e históricos. Até que eu vi o motivo disso uma vez que ele esqueceu de apagar. Ele ficava por horas olhando fotos de outras garotas mas se algum cara comentasse uma foto minha ele ia arrumar briga. Depois disso, passei a desconfiar dele e agredi-lo. Quando chego a esse extremo de agredir alguém, eu mesma termino. Atualmente faço terapia. 

Eu mexia nas coisas dele, desconfiava de tudo, sempre achava que estava sendo traída e arrumava briga por causa disso. Acredito ser resultado das traições de ex parceiros. Hoje já não faço isso, percebi que só faz mal pra mim e pro outro.

Não sabia lidar com minhas emoções e frustração do meu relacionamento abusivo, então me tornei um espelho, difícil refazer depois disso.

Após viver em um relacionamento abusivo,jurei nunca mais ser humilhada por homem nenhum. Hoje em um novo relacionamento me tornei abusiva.

Conheça mais artigos de nosso blog!

2 comentários em “RELACIONAMENTO ABUSIVO: O que é? Como superar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *